Crônicas

12/06/2014

Contradições


O Brasil entrou no século XXI justificando o lugar comum do século passado: continua sendo um país de contrastes.

Há contradições quando dizem que há progresso, quando tantos estão desassistidos, sendo um consumo desigual pelo território e entres os diversos grupos de renda. Pessoas, jovens, idosos e crianças, chamado por atendimento na saúde nos hospitais, mas faltam médicos faltam leitos, em contrapartida investimentos para a copa do mundo. Mostrar aos outros o que não existe em nosso país. Oxalá esses gastos sirvam para persistir no futuro beneficiando a população.

Prometeu-se ao mundo que ele ficaria livre do medo, mas na verdade o medo aumentou enormemente com assalto, acidentes, violência desordenada, manifestações.... Sem falar, na grande contradição da riqueza e pobreza, do honesto e desonesto. Os princípios éticos e morais se confundem, ao vermos “homens de bem”, praticando crime, lesando pessoas, usufruindo do “status” para acumular mais como menos investimento e em menos tempo possível. E a segurança?  Onde fica a justiça? Os Estados e União não têm recursos para coisa alguma. A contradição; gastos públicos, desvio de verbas, impunidade....

Que o espirito de fé e confiança, de generosidade e fraternidade entre os homens, prevaleça na mente daqueles cujas decisões dependem nossos destinos. Do contrario, civilização humana estará condenada.

A Violência no Brasil

A violência que assombra diariamente e de forma avassaladora a população brasileira tem sua origem em diversos segmentos.

É um engano imaginário que o Estado policialesco, mais e mais policiais minimizar a contento, em prazo razoável, a questão.

Não há nenhuma possibilidade, a curto e médio prazo, de se reverter o grave quadro da violência, de todos os tipos.

Há violência nas ruas, nas estradas, no trânsito, no lar, em família. As armas de guerra viraram rotina em assaltos e na disputa entre facções criminosas ligados ao tráfico de drogas.

Explodir caixas eletrônicos, em ação de bandidos mascarados, de posse de dinamite e fuzis de guerra, virou moda, principalmente em cidade de até vinte mil, habitantes ou no interior do país.

Portanto que a violência no Brasil é estrutural e progressiva, sem falar na violência de vândalos, dos grupos que depredam e incendeiam ônibus, carros, promovem atos desordem, incendiando pneus em vias públicas, fazendo barricadas e atacando os policiais.

O Brasil é um antro de violência progressiva onde qualquer cidadão pode ser próxima vítima. Sinal dos tempos em que o respeito à ordem pública é a vida humana são coisas do passado, triste incômoda realidade.  

 

 

Fonte: Jurisul

Voltar para CRÔNICAS

Rua Benjamin Constant, 715 - Sobreloja PASSO FUNDO/RS

2014 - ©Jurisul Advocacia - Todos os Direitos Reservados - All Right Reaserved. PROIBIDA A CÓPIA.