Crônicas

29/05/2014

A MULHER DE TRINTA ANOS

   

            Ontem o calendário marcava o 215º aniversário de nascimento de Honoré de Balzac, grande escritor francês considerado o fundador do Realismo na literatura moderna. Entre seus romances mais famosos figura “A Mulher de Trinta Anos”, escrito entre os anos de 1831 e 1832, o qual deu origem à expressão “mulher balzaquiana” para se referir às mulheres com 30 anos ou mais.

            Olhem o que ele diz:

“Uma mulher de trinta anos tem atrativos irresistíveis. A mulher jovem tem muitas ilusões, muita inexperiência. Uma nos instrui, a outra quer tudo aprender e acredita ter dito tudo despindo o vestido. [...] Entre elas duas há a distância incomensurável que vai do previsto ao imprevisto, da força à fraqueza. A mulher de trinta anos satisfaz tudo, e a jovem, sob pena de não sê-lo, nada pode satisfazer”.

            Compreendo Balzac e lhe dou toda a razão.

Ah, a mulher de trinta anos! A mulher em seu esplendor de beleza, cheia de vida, cheia de sonhos. Ah, a mulher de trinta anos! Aquela que passa e nos encanta com aquele jeitinho juvenil dos 20 anos, que trouxe consigo.

            Ah, a mulher de 30 anos! A mulher de 30 anos é a mais bonita das mulheres. Ah, a mulher de 30 anos! A mulher cheia de charme, sem igual, aquela que possui uma capacidade inigualável de nos deixar com os olhos vidrados.

            Ah, a mulher de 30 anos! Que sorriso lindo tem a mulher de trinta anos. Um sorriso largo, espontâneo, cativante. E os olhos. Nossa! O que são os olhos de uma mulher de trinta anos. São olhos cheios de luz, um brilho encantador, que parece resplandecer sua própria alma.

            Ah, a mulher de 30 anos! Que lábios tem a mulher de 30 anos. Uns lábios cheios de frescor, que muitas vezes se vestem de um sorriso que traduz uma felicidade incontida e, em outras, esconde a dor que lhe sufoca o coração.

            Ah, a mulher de 30 anos! E o que dizer, então, do corpo de uma mulher de trinta anos? Aquela cintura semovente, as coxas ... Mesmo tendo um corpo lindo, já começa a pensar em fazer plásticas. Quanta besteira! O homem de verdade não se importa com uma barriguinha ou com aquela charmosa celulite, que a mulher de trinta anos tenta disfarçar. O homem de verdade quer mesmo é amar somente a mulher.

 

Ah, a mulher de 30 anos! Feliz do homem que pode amar uma mulher de trinta anos. Desvendar seus segredos mais íntimos. É pura loucura, roçar a nuca, beijar os seios de uma mulher de trinta anos. Segura, ela sabe o que quer. É intensa, morde, grita, arranha. Bem disse Balzac que a mulher de 30 anos tudo satisfaz.

Ah, a mulher de 30 anos!

 

(21/05/14)

Fonte: Jurisul

Voltar para CRÔNICAS

Rua Benjamin Constant, 715 - Sobreloja PASSO FUNDO/RS

2014 - ©Jurisul Advocacia - Todos os Direitos Reservados - All Right Reaserved. PROIBIDA A CÓPIA.